Terapia da Fala

Terapeuta da Fala Marta Oliveira Silva

Em que tipo de alterações neurológicas pode o terapeuta da fala intervir?

O terapeuta da fala apresenta um papel importante na reabilitação de utentes com alterações neurológicas, a par de médicos fisiatras, neurologistas, terapeutas ocupacionais, enfermeiros, fisioterapeutas e outras valências relacionadas.

O que é uma alteração neurológica?

Uma doença neurológica é uma alteração que pode ocorrer no cérebro, medula espinal e nervos. Esta lesão impede a comunicação entre os neurónios e a funcionalidade do individuo nas suas atividades do dia-a-dia.
Exemplos de doenças neurológicas poderão ser atrofia muscular espinhal, AVC, Disfagia pós-AVC, esclerose lateral amiotrófica, paraparésia espástica familiar, poliomielite aguda, síndrome pós-pólio, traumatismo crânio-encefálico, parkinson, demências, epilepsia entre outras.

O utente com alterações neurológicas pode apresentar:

ALTERAÇÕES DE FALA OU DISARTRIAS
A habilidade de Fala depende da harmoniosa mobilidade de todas estas estruturas da boca e face, por isso, é uma função bastante complexa. Importa que haja uma coordenação precisa de movimentos, que são programados e planeados neurologicamente, bem como a correta discriminação de todos os sons que deverão ser produzidos. Uma pessoa com disartria poderá apresentar as seguintes áreas alteradas:

  • Ressonância: Falar com a voz muito nasal;
  • Articulação imprecisa: incoordenação, dificuldade em colocar a língua e os lábios nas posições corretas para produzir os sons de forma rápida;
  • Fonação: Voz muito baixa ou “áspera”, ou seja, muito tensa quase como se estivesse estrangulada;
  • Suporte respiratório: Dificuldade em coordenar a respiração com a fala ou voz e na utilização da respiração para falar alto ou baixo;
  • Prosódia: Dificuldade em controlar ou executar entoações melódicas;

As disartrias podem ocorrer por paralisia facial periférica ou central, e os utentes podem apresentar flacidez, movimentos inadequados e não controláveis, tensão exagerada e falta de força muscular.

O terapeuta da fala intervém para melhorar a capacidade de fala dos utentes com exercícios específicos para cada caso.

PERTURBAÇÕES DE LINGUAGEM OU AFASIA
Imagine que não consegue compreender os conceitos das palavras que lhe são ditas, ou até mesmo os pedidos que lhe são feitos. Pense como seria se sempre que quisesse falar, as palavras ficassem presas, ou as frases não fossem produzidas de forma adequada. Pense como seria se não conseguisse ler as legendas do rodapé do telejornal ou não conseguisse escrever uma mensagem para o seu marido ou filho, porque tinha perdido a habilidade de o fazer? A afasia é a dificuldade em compreender ou expressar linguagem oral ou escrita após lesão neurológica, na área cerebral responsável pelo processamento da linguagem.
Os utentes com afasia podem não conseguir comunicar de forma adequada e funcional, esquecem-se momentaneamente de palavras, têm dificuldade em desenvolver frases, não compreendem conversas simples ou complexas e não conseguem ler ou escrever. Importa referir que a afasia não é um defeito na inteligência, mas apenas na Linguagem.

O terapeuta da fala intervém no sentido de melhorar a funcionalidade da comunicação de cada individuo, de acordo com as suas dificuldades. Este trabalha também em conjunto com a família, maximizando a compreensão das dificuldades e a interpretação das mensagens do utente.

PERTURBAÇÕES NA DEGLUTIÇÃO OU DISFAGIAS
As disfagias ocorrem quando os utentes têm dificuldade em mastigar ou engolir alimentos, sendo que se podem engasgar, sentir comida presa na garganta, ter comida presa na boca ou não sentir vontade de comer. Estas dificuldades podem surgir pela fraca força muscular, diminuição ou aumento exagerado de sensibilidade ou inibição de apetite. As disfagias poderão levar à entrada de alimento na área pulmonar, provocando pneumonias. Estudos indicam que uma elevada percentagem de utentes com AVC apresentam associadas pneumonias por aspiração de alimentos na área pulmonar e morrem desta mesma condição.

O terapeuta da fala avalia a capacidade de alimentação segura por parte do utente, adequa consistências alimentares e melhora a condição do utente para que este se alimente de forma prazerosa e com o mínimo de risco de aspiração.

PERTURBAÇÃO DA COMUNICAÇÃO
Imagine se estivesse completamente inibido comunicar, desde cumprimentar o seu vizinho, pedir comida ou água, dizer que sente dor ou até fazer pedidos mais simples. A perturbação da comunicação existe quando o utente perdeu a capacidade de comunicar ou não a consegue realizar de forma adequada e funcional. Os utentes que não conseguem comunicar, muitas vezes conseguem compreender o mundo à sua volta. Importa que se detetem estas alterações de modo a construir um meio aumentativo de comunicação ou mesmo alterativo, como por exemplo, os quadros de comunicação que os utentes usam para transmitir as suas mensagens.

O terapeuta da fala melhora as competências de comunicação do utente de modo a que este utilize as suas capacidades para comunicar com o outro, utilizando quadros de comunicação, desenho, escrita, símbolos, piscar de olho etc.

APRAXIA
Imagine a sensação de querer fazer um movimento mas não conseguir, sentindo-se como que se tivesse esquecido de como o fazer. Pense se isto acontecesse com coisas simples, desde pentear o cabelo, lavar os dentes ou colocar a língua em determinados pontos para dizer determinadas palavras. A Apraxia é uma alteração neurológica que leva à incapacidade de uma pessoa fazer movimentos para um objetivo, que pode ser pentear o cabelo, pegar num copo ou mesmo realizar movimentos para a fala. Neste tipo de alterações, não existem problemas nos membros ou nos músculos que justifiquem a dificuldade, sendo que a alteração principal é no cérebro e na programação (organização do movimento) antes de ele ser executado.

O terapeuta da fala realiza exercícios específicos para este tipo de casos, melhorando a movimentação dos órgãos articuladores.

PARALISIA FACIAL PERIFÉRICA
Na Paralisia Facial Periférica (PFP) o utente pode demonstrar dificuldade na mobilização da sobrancelha, fechar o olho, realizar movimentos em determinado lado da face e apresenta assimetrias. Estas alterações podem levar a alterações de expressão facial, fala e alimentação.

O terapeuta da fala utiliza diversas técnicas adaptadas ao quadro clínico do utente de modo a que este recupere o máximo das capacidades perdidas do lado afetado.

Links interessantes que poderá visitar:
www.ipafasia.pt
www.sptf.org.pt
www.aptf.org
www.asha.org
www.myessd.org