Dia Mundial da Atividade Física

O aparecimento de doenças crónicas, como as cardiovasculares, oncológicas, a diabetes e a obesidade, deve-se sobretudo ao sedentarismo.

Estima-se que em Portugal, 1 em cada 10 portugueses têm diabetes, cerca 4 em cada 10 sofre de hipertensão e mais de metade da população adulta apresenta excesso de peso, incluindo obesidade.
Segundo a Organização Mundial da Saúde, a prática regular de exercício físico é importante para melhorar a  qualidade de vida. Além dos benefícios físicos, como o aumento da resistência muscular, redução da frequência cardíaca, ganho de condição física e prevenção de lesões e vícios de postura, a prática diária de exercício físico também ajuda a combater a depressão.

Sugestão de exercícios para fazer regularmente:

Corrida – Melhora a circulação do sangue, estimula a produção de endorfina e regula o sono.
Ciclismo – Andar de bicicleta é um exercício que não causa grande impacto nas articulações e, se bem,  orientado, pode ajudar a controlar o colesterol e a pressão arterial, além de melhorar a condição física.
Caminhada – Previne e combate doenças cardiovasculares, controla a pressão cardíaca e aumenta a elasticidade das veias e artérias.
Hidroginástica – Melhora a coordenação dos membros inferiores e superiores, a circulação e a respiração, além de regular a pressão arterial. Geralmente, este tipo de exercício, é muito indicado para quem tem problemas na coluna, uma vez que não causa impacto nas articulações.

A prática regular de atividade física, aliada com uma alimentação adequada, previne os problemas de saúde atrás referidos. Realize, no mínimo, 30 minutos de exercício diário durante 4 dias por semana.

Fontes:
American College of Sport Medicine
Organização Mundial da Saúde
Ministério da Saúde

Dia Mundial do Rim – Patologia Renal: como prevenir complicações futuras

Dr. Paulo Espiridião – Médico Urologista do CMP

Os rins são dois órgãos localizados em ambos os lados da coluna vertebral, atrás das últimas costelas, e medem aproximadamente 12 centímetros.

As suas principais funções são:

  • Eliminar as toxinas resultantes do metabolismo corporal: uréia, creatinina, ácido úrico, etc;
  • Manter o equilíbrio hídrico do organismo, eliminando o excesso de água, sais e eletrólitos, evitando, assim, o aparecimento de edemas (inchaços) e aumento da pressão arterial;
  • Atuar como órgãos produtores de hormonas: eritropoetina, que participa na formação de glóbulos vermelhos; a vitamina D, que ajuda a absorver o cálcio para fortalecer os ossos; e a renina, que intervém na regulação de pressão arterial.

A doença renal pode ser silenciosa, mas há casos em que o indivíduo sente alguns sintomas. Os sinais e sintomas mais conhecidos são: hipertensão arterial, urina com sangue, urina com espuma (presença de proteínas na urina), edemas, eliminação de urina muito clara (como água), anemia (palidez, cansaço, dor no peito e sonolência).

Quando a doença está muito avançada, pode haver perda do apetite, náuseas, vómitos, cãibras, prurido (coceira), perda de memória, falta de concentração, tremores, insónia ou sonolência.

A doença renal pode ser silenciosa, mas há casos em que o indivíduo sente alguns sintomas. Os sinais e sintomas mais conhecidos são: hipertensão arterial, urina com sangue, urina com espuma (presença de proteínas na urina), edemas, eliminação de urina muito clara (como água), anemia (palidez, cansaço, dor no peito e sonolência).

Atualmente, estima-se que 10% da população tenha algum grau de doença renal. O número chega a dobrar em pessoas entre 65 e 75 anos.

Para avaliar a função desse órgão é fundamental a realizaçao de análises especificas de sangue (ureia, creatinina, ionograma, etc) e urina (urina II e sedimento).

Com algumas medidas simples é possível cuidar bem dos rins. Ficam alguns conselhos:

  • Diminua o consumo de sal nos alimentos. O máximo permitido é de cinco a seis gramas por dia;
  • Beba bastante água, mantenha uma alimentação saudável e pratique exercício físico com regularidade;
  • Não fume e mantenha um peso adequado;
  • Controle a pressão arterial;
  • Cuidado com os medicamentos. Remédios só com a indicação do médico.

Dia Mundial da Diabetes

O grupo CMP vai realizar um Rastreio Gratuito à Diabetes, no dia 14 de Novembro das 08:00h às 11:00h, nas suas delegações de S.J. da Madeira, Estarreja, S. M. Feira, Cesar e Arouca.
Esta iniciativa assinala o Dia Mundial da Diabetes e reforça a importância de que um diagnóstico precoce pode restituir qualidade de vida.

Clínicas CMP:

São João da Madeira (sede)
Rua do Vale do Vouga 1492, 3700-298 S. J. da Madeira | 256 830 700

Estarreja
Rua Dr. António de Abreu Freire 60 R/C esq., 3860-384 Estarreja | 234 292 826

Santa Maria da Feira
Rua Dr. Alcides Monteiro 45, 4520-179 S. M. da Feira | 256 303 307

Cesar
Rua Central de Cesar 2, 3700-608 Cesar | 256 858 231

Arouca
Alto da Estrada Bloco 3 R/C Fracção A/B, 4540-194 Arouca | 256 944 861 / 256 949 608

Dia Mundial da Radiologia

A Radiologia é uma área da medicina, especializada e diretamente apoiada pela tecnologia, que permite obter imagens do corpo com o objetivo de detetar a causa de determinados sintomas, constituindo assim um processo fundamental para o diagnóstico e permitindo direcionar procedimentos de intervenção como forma de tratamento.

Atualmente, a Radiologia vai para além da utilização dos Raios-X como forma de obtenção de imagens. São também utilizados outros mecanismos para obter imagens, nomeadamente os ultrassons utilizados nos estudos de Ecografia e os campos magnéticos como é o caso da Ressonância Magnética.

Apesar da evolução constante na área da Radiologia, as Radiografias (conhecidas como Raios-X) continuam a constituir o exame de primeira linha no diagnóstico de várias patologias específicas.

O termo Radiografia refere-se a uma imagem obtida após a aplicação de radiação X, continuando a representar uma ferramenta de grande utilidade na prática clínica. Este continua a ser o exame indicado primeiramente no estudo de fraturas, lesões infeciosas (nomeadamente pulmonares), avaliação de alterações do padrão mamário (no caso da Mamografia), avaliação dos níveis de desmineralização óssea (especificamente com a Densitometria Óssea), alterações em determinados órgãos, presença de obstruções, líquido ou ar, de forma simples, rápida e indolor.

Curiosidade:

A primeira Radiografia foi conseguida por Röntgen em 1895, que o levou a ganhar o Prémio Nobel de Física em 1901.

Cancro da Próstata

O cancro da próstata é o tumor mais frequente nos homens do mundo ocidental. Este tumor representa a 2ª causa de morte por cancro no homem logo atrás do cancro do pulmão.

Em Portugal, estima-se em 4000 o número de novos casos anuais, com uma mortalidade aproximada de 1000 doentes por ano.

Na maioria dos casos, numa fase precoce o cancro da próstata não apresenta qualquer sintoma específico sendo impossível distinguir de outras patologias prostáticas mais comuns. Estes sintomas podem ser dificuldade em urinar (disúria), necessidade de urinar frequentemente durante a noite (noctúria), micções dolorosas, a urgência miccional, desconforto ou dor pélvicas, mas também disfunção eréctil ou ejaculação dolorosa.

Permanecem muitas dúvidas em relação ao aspecto preventivo desta neoplasia não parecendo existir uma forma eficaz de prevenção.

Assim sendo, e dada a sua frequência, a partir dos 50 anos é recomendada a realização de uma avaliação anual com toque rectal e PSA (esta proteína mensurável numa análise sanguínea é produzida pela próstata e encontra-se elevada em caso de doença prostática). Em caso de história familiar, (sobretudo parentes em 1° grau), ou raça negra, o seguimento deverá iniciar-se aos 45 anos. Se justificável, a única técnica capaz de confirmar o diagnóstico é a biópsia prostática.

A boa notícia é que embora a incidência aumente com o envelhecimento da população, comparativamente a outros cancros, o prognóstico é relativamente favorável desde de que detectado atempadamente.

Paulo Espiridião
Clínica de Urologia do Centro Médico da Praça

Dia Mundial do AVC

A American Heart Association refere que no mundo a cada 2 segundos uma pessoa sofre um Acidente Vascular Cerebral.

Segundo dados estatísticos, cerca de 35 mil Portugueses morrem anualmente por doenças cardiovasculares, revelando uma situação bastante preocupante para a sociedade Portuguesa. É de extrema importância estar atento à nossa fisionomia e aos principais fatores de risco como a idade, o género ou a história familiar.

Os AVC’s são mais comuns nas pessoas com mais de 55 anos, e com o decorrer da idade o risco aumenta, por isso, a realização de exames de rastreio tem uma elevada importância na deteção das doenças silenciosas, tornando-se fundamental para o aumento do bem-estar físico, emocional e social.

A prevenção permite reduzir o risco em cerca de 80%, defende a American Heart Association.

Confira o que pode fazer para reduzir o risco de AVC:

Aumente o número de cores no seu prato
Fazer uma alimentação equilibrada é um fator decisivo para a nossa saúde cardiovascular. Aumente a ingestão de vegetais, fruta, de preferência ao consumo de alimentos com maior número de nutrientes, como legumes, peixe ou carnes magras.

Análises Clínicas (Colesterol)
Um controlo assíduo do colesterol é fundamental para prevenção de doenças cerebrovasculares, como o AVC. O colesterol é um dos principais fatores de risco para o Acidente Vascular Cerebral, e é imperativo a criação de novos hábitos diários que têm de incluir a pressão arterial controlada (a pressão sistólica (máxima) <140 mm Hg e a pressão diastólica (mínima) <90 mm Hg), a redução do consumo de sal e gordura, a ingestão moderada de bebida alcoólica, o controlo do peso, a prática de exercício físico regular.

TAC (Tomografia Axial Computorizada)
A Tomografia Axial Computorizada é um exame rápido, e de alta confiabilidade dado que permite obter imagens de alta resolução das artérias cerebrais e do pescoço que serão processadas em vários planos permitindo identificar eventuais áreas de estenose potencialmente tratáveis. É através deste exame complementar de diagnóstico, que se consegue fazer a diferenciação entre AVC com origem isquémica ou hemorrágica contribuindo para o tratamento do paciente.

Eco Doppler Carotídeo e Vertebral
Exame Complementar de Diagnóstico, não invasivo, que através de ultrassons permite avaliar em tempo real o estado anatómico e hemodinâmico da circulação extracraniana. Este exame também é indicado para avaliar a espessura da parede da artéria carótida.

Fisioterapia pós Acidente Vascular Cerebral

A Medicina Física de Reabilitação é uma das abordagens não farmacológicas envolvidas na renovação após Acidente Vascular Cerebral. A ajuda nestes casos deve iniciar-se o mais recentemente possível. As sessões, normalmente, são intensas e muitas vezes de longa duração, tendo em conta o local e extensão da lesão, bem como as características da pessoa.

O principal objetivo da Fisioterapia pós-AVC prende-se com a reabilitação das alterações motoras, como a marcha, bem como no aumento de mobilidade e treino de atividades funcionais de forma a potenciar a independência e a qualidade de vida.

Este tratamento tem também um papel fulcral no apoio aos familiares, através do ensino de estratégias diversificadas de modo a facilitar as atividades no quotidiano, na prevenção de complicações que ocorrem com a diminuição da mobilidade e na prevenção e redução do risco de quedas.


Fontes:

Fundação Portuguesa de Cardiologia
Associação Acidente Vascular Cerebral
American Heart Association

Dia Mundial das Doenças Reumáticas

A Reumatologia é a especialidade médica que se dedica ao tratamento das doenças que afetam as articulações, os ossos, os músculos, os tendões e os ligamentos, genericamente definidas como doenças reumáticas.

Um estudo recente (Estudo Epidemiológico de Doenças Reumáticas em Portugal – EpiReumaPt) mostrou que cerca de metade dos portugueses sofre de, pelo menos, uma doença reumática e que estas enfermidades são as que mais influenciam a nossa qualidade de vida.

Nos países desenvolvidos, as doenças reumáticas são o grupo de patologias mais frequentes, estando associadas a um elevado nível de incapacidade funcional e laboral, com fortes repercussões socioeconómicas, dado que podem ocorrer em qualquer faixa etária, incluindo crianças e adultos jovens.

Apesar do seu início precoce ser frequente, as doenças reumáticas são crónicas e, por isso, a sua prevalência aumenta inexoravelmente com o envelhecimento da população.

Porém, as doenças reumáticas não devem ser um fado, nem um fardo! Podem ser evitáveis e, quando ocorrem, é fundamental serem diagnosticadas com precisão para prevenir a incapacidade.

Neste sentido, importa esclarecer que não existe “Reumatismo”.

Na verdade, existem mais de uma centena de doenças reumáticas com sintomas, características e tratamentos diversos. Se compreendermos isso temos nas nossas mãos a capacidade de combater uma das grandes causas de incapacidade e de perda de qualidade de vida. Neste momento existem medicamentos e outras intervenções terapêuticas eficazes que devem ser usados de forma criteriosa e personalizada, em função da doença e do doente em particular.

De uma forma geral, as doenças reumáticas podem subdividir-se em:

  • Doenças reumáticas crónicas imunomediadas, como a artrite reumatóide, as espondilartrites (nomeadamente a espondilite anquilosante, a artrite psoriática, a artrite reactiva e outras formas de espondilartrite), as artrites idiopáticas infantis, a polimialgia reumática, as vasculites, o lúpus eritematoso sistémico e outras patologias difusas do tecido conjuntivo (como a esclerose sistémica, a síndrome de Sjogren, a dermatomiosite, etc.).
  • Doenças reumáticas não imunomediadas, grupo em que se incluem, a título exemplificativo, a fibromialgia, a gota, as tendinites, a osteoporose e a osteoartrose.

Diversos estudos sugerem que, comparativamente aos países do Norte da Europa, a população portuguesa caracteriza-se por uma longevidade semelhante mas tem mais doenças crónicas e complicações médicas e, por isso, menos qualidade de vida.

O que podemos fazer para resolver este problema?

A informação sobre estilos de vida saudáveis e preventivos da doença, aliada ao conhecimento de queixas de alerta que permitam o diagnóstico precoce, pode ter um papel decisivo. Está nas nossas mãos esta possibilidade de prevenir e detectar precocemente as doenças reumáticas.

 

Sabia que…
– A palavra “Reumatismo” esconde dezenas de doenças diferentes, que devem ser prevenidas e diagnosticadas de forma precisa, porque há tratamentos específicos para cada uma delas.
– O Reumatologista é o médico que tem a especialidade para tratar as doenças reumáticas.
– As doenças reumáticas não são doenças dos idosos e podem afetar qualquer pessoa, desde o nascimento até à terceira idade.
– O tabagismo, o sedentarismo e o excesso de peso não só causam doenças cardiovasculares, mas também são factores de risco para algumas doenças reumáticas.

Fonte: site da Sociedade Portuguesa de Reumatologia (SPR).

Dia Mundial da Saúde Mental

A Saúde Mental e a Saúde Física são duas componentes imprescindíveis e inseparáveis da Saúde Humana.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) “o estado de bem-estar no qual o indivíduo tem consciência das suas capacidades, pode lidar com o stress habitual do dia-a-dia, trabalhar de forma produtiva e frutífera, e é capaz de contribuir para a comunidade em que se insere”.

Saúde mental e saúde física é uma conjugação de sentimentos entre nós próprios na relação com os outros, é encararmos a adversidade de forma positiva, é termos confiança nas nossas capacidades e não temermos o futuro. A saúde mental engloba o bem-estar psicológico e baseado no equilíbrio das funções mentais, traduz-se em comportamentos adaptados às diferentes circunstâncias em que o indivíduo está envolvido.

Neste sentido não é difícil perceber que o corpo e a mente estão sintonizados, daí que a maioria dos estudos desenvolvidos por universidades mundiais, concluam que por meio da prática de algumas atividades físicas, a nossa saúde mental melhore gradualmente.

Deixamos algumas sugestões:

  • Caminhar 30 minutos por dia ao ar livre (Montanha) ajuda a melhorar a saúde mental. Um estudo desenvolvido pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos da América concluiu que as pessoas caminham diariamente e estão em contacto com a natureza estavam menos propensas à depressão e ao stress diário.
  • Sorrir ajuda a diminuir a dor física – Sorrir de forma natural, alivia o stress. Por vezes estes sintomas podem espelhar-se na nossa cara, mas um sorriso pode ajudar-nos a termos um olhar menos cansado e abatido. Quando se sentir desta maneira, faça uma respiração profunda! Vai ajudar a acalmar-se e a sentir-se um pouco melhor.
  • Melhora a autoestima – Praticar exercício físico regularmente, aumenta o fluxo de sangue no cérebro, cresce os níveis de substâncias que aumentam a sensação de bem-estar. Além disso, elimina os pensamentos negativos e a sensação de baixa autoestima. São contidas a perda de peso, a ansiedade, a falta de segurança e a dificuldade em lidar com as pessoas.

Dia Mundial da Música

Ouvir música não é só um entretenimento e uma medida para acalmar ou relaxar. A música traz diversos benefícios para a saúde, como alívio de dores, aumenta a capacidade de memória e estimula a prática de exercício físico.

É importante escolher músicas com as quais mais nos identificamos e nos trazem maiores benefícios a nível físico e mental. Incorpore a música no seu dia-a-dia e sinta os seus benefícios.

Os principais benefícios da música para a saúde:

  • Melhora a qualidade do sono;
  • Reduz ansiedade e depressão: Estudos revelam que mulheres grávidas que ouvem música relaxante sofrem menos ansiedade, depressão e stress. Também, a música clássica e de meditação melhora o bem- estar.
  • Motivação no alcance de melhor performance física: A música que escolhe durante o exercício físico é mais do que uma mera distração, podendo aumentar a resistência e a vontade de testar os limites.
  • Desenvolve o bom humor: o sistema nervoso é afetado pelo tipo de música que ouvimos. Quando entramos numa loja com música num volume considerável, o corpo reage com mas adrenalina levando ao aumento do ritmo cardíaco e do bom humor. Por outro lado, músicas mais melodiosas tendem a deixar-nos nostálgicos e introspetivos.
  • Induz ao movimento;
  • Cria vínculos: Quando a mãe, canta para tentar adormecer o seu filho, ele consegue memorizar a sua voz e cria uma relação.
  • Promove o autoconhecimento: Faz a pessoa viajar por mundos desconhecidos e a descobrir sensações, emoções e sentimentos próprios.

Dia Mundial da Saúde Ambiental – 26 de Setembro

“As grandes questões ambientais globais, nomeadamente as alterações climáticas, a poluição atmosférica, os resíduos, a contaminação hídrica, entre outras contribuem para um impacto adverso na saúde humana, conduzem a que se estime que 23 a 25% das causas das doenças em países industrializados possam ser atribuídas a fatores ambientais” (OMS, 2006)

É de extrema importância que todas as pessoas tenham consciência que preservar e conservar o meio ambiente não é apenas realizar a preservação das florestas, mas sim conservar tudo aquilo que nos rodeia, como mares, animais, entre outros.

Para cuidarmos da “Saúde Ambiental” não é necessário muita coisa, basta implementarmos alguns hábitos que podem trazer grandes benefícios para o meio ambiente.

Segue abaixo algumas dicas que podemos adotar no dia-a-dia para preservarmos e melhorar o meio ambiente, para que possamos ter um mundo melhor para viver.

Realizar uma recolha seletiva do lixo
Á medida que separamos o lixo reciclável (plástico, papel, vidro, pilhas, eletrodomésticos, etc.) do lixo orgânico, além de ajudarmos a natureza a economizar diversos recursos naturais que serão reaproveitados para a fabricação de diversos itens, conseguimos reduzir em torno de 40% do lixo que será remetido para os aterros. Além disso, esta recolha seletiva, ajuda a diminuir o lixo das ruas o que acaba por reduzir a sujidade das ruas, possibilidade de doenças e também do lixo acumulado.

O destino do óleo de cozinha
O óleo de cozinha, é um grande problema para o meio ambiente e para os canos das casas, pois quando é derramado na pia ele causa entupimento dos canos, faz a retenção dos resíduos alimentares, atraindo animais como baratas, insetos, ratos, entre outros animais menos desejados pelas pessoas. O óleo de cozinha deve ser guardado em garrafas e encaminhado para aterros sanitários com destino.

Desfazer-se de pilhas e baterias
As pilhas e baterias são repletas de elementos químicos que fazem mal à saúde humana. Quando esses objetivos são deitados fora aleatoriamente, existe a possibilidade de poluir o lençol freático, sendo esses elementos químicos conduzidos pela chuva. Atualmente, existem locais que recebem as pilhas e baterias (ponto eletrão) para que os mesmos possam ser reciclados e transformados.

Adote Ecobags nas compras do supermercado
No supermercado é habitual utilizarmos sacos plásticos, que não são recicláveis e não são reaproveitados. Esses sacos quando deitados no lixo, podem durar 200 anos para serem consumidos pela natureza! Por isso, adote uma solução sustentável para o meio ambiente, utilize sacos recicláveis!

Cultive
As plantas são sinal de vida, e quando cultivadas em ambientes interiores elas ajudam a transformar o ambiente, dando cor e auxilio no controlo da humidade, da temperatura e na purificação do ar.

Adote um estilo de vida, que seja saudável para si e para o ambiente! Ao cuidar de si, cuida do ambiente!